escola de síndicos

Curso online pelo E-Book Síndico-Administrador

Síndico-Administrador é um livro curso E-book sobre gestão condominial, com um conteúdo jamais explorado didaticamente.  

Investimento: R$ 70,00. 

Formato: PDF.

Como comprar: clique abaixo no banner PAGSEGURO.

 






Quando receberá o livro: logo após enviado o comprovante e identificarmos o depósito em nossa conta será remetido o livro em PDF diretamente ao seu e-mail.

 

200 páginas.

 Quem deve ler este livro?

  • Síndicos moradores novatos e experientes e futuros síndicos profissionais;
  • Futuros síndicos moradores;
  • Formandos e formados em Administração e Ciências Contábeis que pretendem se tornar síndicos;
  • Construtoras;
  • Consultores de condomínio que pretendem ser síndicos.

 

Livro com o reconhecimento do Conselho de Administração do RS.

 

Sumário

 

Prefácios (presidente do Conselho Regional de Administração do RS e Diretor Presidente da Allgayer Segurança)

Introdução

Dedicatória

Agradecimentos

Capítulo 1

Instalação de um condomínio

Como tudo começa

Fase inicial

Instituição efetiva do condomínio

A entrega do imóvel

Capítulo 2

Como candidatar-se, conquistar a maioria dos votos e ser o Síndico do seu Condomínio.

Fazendo lobby.

Quem é o candidato?

Quem são os eleitores?

Quando ocorrem as eleições em um condomínio?

Passos rumo à eleição.

Capítulo 3

Como ganhar dinheiro como Síndico Profissional

Uma grande oportunidade

Justificativas para a existência de um Síndico Profissional

Vantagens com a contratação de um Síndico Profissional

Desvantagens com a contratação de um Síndico Profissional

Perfil de Síndico Profissional

Construindo o seu pacote de serviços

Estabelecendo o preço

Sobre estimativa de ganhos

Como obter financiamento

Quem são os clientes

O que fazer para conquistar clientes?

Crie diferenciais competitivos

Estratégias de vendas

Técnicas de Vendas Consultivas às Imobiliárias

Princípio da venda consultiva

Como contornar objeções?

Margem de contribuição: o segredo

Capítulo 4

A magia da gestão nos condomínios edilícios

O que é gestão?

Paga-se caro pelo condomínio

No passado era pior

Competências (perfil) recomendadas do Síndico

Importância do Síndico

Autogestão

Atribuições do Síndico

Planejamento é essencial

Projetos e Processos

Objetivos para projetos

Fundamentos de um processo de mudança

Linha de comunicação clara evita conflitos.

Sistema de gestão

Capítulo 5

Gestão da liderança em condomínios populosos

Modelo de Liderança Situacional na prática

Capítulo 6

Gestão de conflitos nos desentendimentos entre vizinhos

Como você maneja conflitos

Modelo prático de comportamento de Thomas

Capítulo 7

O Processo da Negociação e as finanças do condomínio

A negociação é para ganhar dinheiro

Fatores da negociação

Os dez mandamentos do Síndico Negociador

Manejo de concessões

Capítulo 8

A soberania das Assembléias

Maioria absoluta e maioria simples

Convocação

Prazo para a convocação

Quem pode convocar

Quóruns legais mínimos

Orientação ao condômino

Antes da reunião

Durante a reunião

Após a reunião

AGO - Assembléia Geral Ordinária

AGE - Assembléia Geral Extraordinária

Roteiro de planejamento para Assembléias

Capítulo 9

Gestão das despesas entre proprietários e locatários

Responsabilidades tanto de locatários quanto de proprietários

Responsabilidade exclusiva dos locatários

Responsabilidade exclusiva dos proprietários

Capítulo 10

Políticas de boa vizinhança

Sendo cordial com todos

Capítulo 11

Comece com o pé direito

O segredo dos 26 passos

Capítulo 12

Elaboração da convenção

Conteúdo da convenção

Conselho consultivo

Capítulo 13

Organização pessoal do Síndico

Os 16 segredos de estado

Aja rápido nos sinistros

Guarde os documentos de acordo com a Lei

Capítulo 14

O que o Síndico deve saber

Sobre o GBC BRASIL - Green Building Council Brasil

Sobre o processo de Planejamento em condomínios

Sobre a fração ideal

Sobre a taxa de condomínio e taxa de administração

Sobre a segurança do seu condomínio

Sobre a conservação dos elevadores

Sobre Anotação de Responsabilidade Técnica

Sobre o consumo da água

Sobre a validade da nota fiscal

Sobre o Vice-Síndico ou Subsíndico

Sobre como entrevistar um Síndico Profissional

Sobre a remuneração do Síndico

Sobre o mandato do Síndico

Sobre a escolha da Administradora

Sobre o resumo de Rotinas Administrativas

Sobre Fundo de Reserva

Sobre Documentos e obrigações do condomínio

Sobre a Declaração de Imposto de Renda do condomínio

Sobre Cadastro Nacional das Pessoas Jurídicas – CNPJ

Sobre Cadastro de Contribuintes do Município - CCM

Sobre a Relação dos Empregados X Condomínio

Sobre o balancete mensal

Sobre o Juizado Especial Cível

Sobre o tratamento do lixo do condomínio

Sobre o cálculo da taxa de inadimplência

Sobre a estratégia do “desconto pontualidade”

Sobre como diminuir despesas

Sobre como aumentar receitas

Capítulo 15

O que diz a Lei?

O condômino anti-social

Inadimplência

Multas

Contratações

Animais no condomínio

Poluição sonora no condomínio

Seguro do Condomínio

Remuneração do Síndico

Guarda dos documentos

Conselho Consultivo

Anexos

Síntese da Lei 10.406/02

Convenção modelo

Atribuições de funcionários

 

Vantagens para o síndico

  1. Obter vantagens significativas para o condomínio em negociações de vulto;
  2. Montar um sistema de gestão condominial;
  3. Planejar estrategicamente;
  4. Entrevistar síndicos profissionais;
  5. Gerenciar projetos e manter processos condominiais;
  6. Reduzir inadimplência do condomínio;
  7. Questionar despesas antes inquestionáveis;
  8. Diminuir conflitos pessoais;
  9. Liderar com mais eficácia;
  10. Argumentar persuasivamente;
  11. Entender melhor a linguagem do consultor jurídico do condomínio.

 

Vantagens para o condômino

  1. Valorizar seu patrimônio;
  2. Cobrar ações do síndico;
  3. Exigir do gestor profissional ações eficazes;
  4. Participar em assembléias com argumentos mais persuasivos;
  5. Entender melhor os balancetes mensais;
  6. Evitar provocações que conduzem conflitos pessoais iminentes;
  7. Preparar-se para ser síndico.

 

Vantagens para construtores

  1. Orientar futuros condôminos na instalação de um condomínio;
  2. Agilizar a transferência de responsabilidades ao futuros proprietários.

 

Vantagens para estudantes de Direito

 

  • Obter conhecimentos para se candidatar a síndico do seu condomínio;
  • Analisar mais um ramo de atuação do direito.

 

Vantagens para estudantes de Administração

  • Praticar a gestão condominial.

 

Funcionamento de um condomínio;

  • Aplicação prática das técnicas de gestão;
  • Testar suas tendências políticas, candidatando-se a síndico através dos conhecimentos do livro.
  • Obter conhecimentos para se candidatar a síndico do seu condomínio.

 

 

Vantagens para Corretores de Imóveis

 

  • Expandir serviços no ramo imobiliário;
  • Produzir rendimentos mensais contínuos.
  • Obter conhecimentos para se candidatar a síndico do seu condomínio.

 

Vantagens para funcionários de administradoras de condomínio

 

  • Saber falar a linguagem da gestão.
  • Preparar-se para ser um síndico profissional.
  • Saer organizar um negócio para auferir rendimentos.

 

De leitura fácil e envolvente o livro Síndico-Administrador, a ciência da administração na gestão de condomínios instiga os síndicos mais experientes a corrigir sua visão sobre a gestão de condomínios. Para ser síndico, não precisa ser administrador, engenheiro, advogado, basta ser uma pessoa com bom senso, maturidade e treinada para a gestão.

É isso que o livro demonstra. 

Leia parte do primeiro capítulo.  

 Capítulo 1

Instalação de um condomínio

 

Condomínio é o direito de propriedade de

várias pessoas sobre um só objeto, cujos

direitos e obrigações estão regulamentados

nos artigos do Novo Código Civil, e na Lei 4.591/64.

 

Como tudo começa  

 

 Ilustra-se a instalação de um condomínio contando uma pequena estória. Uma estória em que várias pessoas iniciam um relacionamento com uma visão comum: conviver em condomínio.

 

 

A venda da casa

 

Pedro e Jandira são casados e possuem dois filhos. Eles moram em uma casa grande, em bairro nobre. Em decorrência do destino de cada filho, Pedro e Jandira acabam morando sós nessa grande mansão. Tal como o destino de muitos casais que criaram seus filhos para o mundo, e para o mundo eles seguiram. 

Cansados dessa casa, onde o perigo ronda diariamente e, sobretudo,  do espaço inútil, antes desfrutado com tantas festas, Pedro e Jandira resolvem tomar uma decisão um tanto difícil: vender a casa.

Não havendo contradição dos filhos, o casal toma a decisão de negociar o imóvel.

Após conversar com vários amigos, eles são apresentados a um construtor que lhes faz uma proposta de negócio verdadeiramente irrecusável, segundo muitos, e decidem finalmente vender a casa.

Em troca, eles receberiam três apartamentos.

Dois anos se passaram e, finalmente, eles podem começar a pensar a ocupar o lindo apartamento permutado.

 

A primeira reunião

 

Tão logo o habite-se é liberado, o construtor convida os proprietários para uma primeira reunião: a reunião de instalação de condomínio. O local, dia, horário e agenda estão no convite.

É em um dia frio de inverno, são às 19 horas e está começando a reunião. Todos muito curiosos, pois alguns deles não tinham experiência em formação de um condomínio. Eram proprietários cuja maioria morava em casas. O perfil era de casais jovens bem formados que financiaram o imóvel.

O diretor da construtora inicia dizendo:

– Boa-noite a todos! Nesta noite importante para todos nós, proponho começar a falar sobre o nome do nosso Condomínio. Chama-se Condomínio Edifício João-de-Barro em homenagem aos primeiros moradores. Mostra, então, em uma foto projetada no multimídia, uma casinha de João-de-barro num vão da parede externa do apartamento de um deles e continua:

– Desde a finalização do revestimento externo, esta família se instalou nele, e não mais quis sair de lá. Só há um senão nesta história: o Síndico terá muito trabalho em cobrar-lhes a taxa condominial... 

Todos riram, já descontraídos, e apreciaram a idéia do nome.

 

A primeira tentativa

 

           Assim, seguiu-se a pauta. Após algumas recomendações de praxe, chegou o momento da escolha do síndico. O diretor volta-se para a platéia atenta e diz:

– Quem deseja ser o síndico? Naquele momento, houve silêncio absoluto na sala. Os olhares se entrelaçaram na expectativa de um primeiro a se oferecer. Era um a esperar pelo outro. Passaram-se uns 50 segundos e nada! Todos, de cabeça baixa, aguardavam a solução vinda de algum canto da sala. Até que um corajosamente falou:

– E se não precisássemos de síndico inicialmente? Continuando com um olhar de ansiedade: – A gente nomearia uma comissão para tocar essas providências e deixaríamos para depois a escolha do síndico.

 

O Síndico: sem ele nada acontece.

 

O Diretor, tarimbeiro, sabia que não iria ser nada fácil. Sua experiência  já demonstrara que a escolha do síndico era o maior desafio daquelas reuniões.  Ele sabia também que, naquela noite, ele deveria sair de lá com um síndico nomeado. Caso contrário, seria inevitável a dificuldade para a formação desse Condomínio, pois o síndico é a mola mestra de todas as realizações. Sobretudo, a responsabilidade não mais pertenceria à Construtora, mas aos proprietários.

No entanto, ele reconhecia que, quando o ser humano desconhece algo, a defesa mais eficaz é evadir-se, ou seja, fugir do fato, e o fato, naquele momento, era: quem seria o SÍNDICO? Para ser Síndico, atualmente, é necessário, antes de mais nada, conhecer como tudo funciona em um condomínio. Por isso, o diretor levantou-se e disse ao pessoal em tom formal:

– O síndico é necessário. É a pessoa escolhida para defender os interesses do condomínio e administrar esta comunidade e, por isso, cabe a ele zelar pelos interesses de todos os condôminos, indistintamente, ainda que um deles não lhe desperte simpatia. Ele exerce a função executiva com a assessoria do Conselho Consultivo, administra o condomínio, cabendo à Convenção determinar o modo de sua escolha, suas atribuições e o quorum para sua eleição. Sem síndico a coisa não anda. Tem mais pessoal:  ele deve garantir a vigilância, a moralidade e a segurança, bem como os serviços que interessam a todos os moradores do edifício. O síndico como administrador é responsável perante o condomínio legalmente.

 

Síndicos Profissionais

 

– Além do que, o Síndico poderá ser pessoa física ou jurídica. Isso significa que vocês, posteriormente, poderão delegar a função a uma pessoa de fora do condomínio. Pois é permitida, ainda, a contratação do síndico que não seja morador do condomínio, tendo também de ser eleito pela Assembléia. Eles são chamados de síndicos profissionais, ou seja, pessoas contratadas pelos condôminos, quando não houver entre eles interesse ou vontade de assumir a administração do edifício.

...